Artigos

Quem nunca se auto sabotou?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h50

Uma vez ouvi de um professor muito querido, a seguinte frase: "cada um de nós, nas circunstâncias dadas, faz, a cada momento, o melhor que pode para sua sobrevivência." Aquilo me fez pensar muito como nos tratamos com pouca compaixão.

No começo é chocante, como pode ser que alguém que está se boicotando, nunca melhora de vida, nunca acha um companheiro, etc esteja fazendo o melhor que pode e não se auto-sabotando? 

Muitos pacientes me colocam logo que chegam para a primeira consulta com esta sentença culpabilizadora: estou me auto-sabotando. A pessoa chega na primeira sessão já inundada de baixa auto estima, culpa e vergonha. 

Quando lhe pergunto e, se você olhasse as suas atitudes e suas ações como o melhor que pode fazer pela sua sobrevivência neste momento?
Como seria se admitisse que há metas a serem atingidas mas que pode aceitar que tem feito o melhor que pode? Geralmente ocorre um silencio nestes momentos e um alívio, um relaxamento, até às vezes um sorriso se esboça. A culpa se afasta. E geralmente falo estas frases já aplicando o EFT para as sensações corporais, para as emoções ligadas a culpa e a vergonha  e para a crença na auto-sabotagem. 

O processo de terapia com EFT visa, na medida em que investiga os eventos traumáticos específicos e cada um dos aspectos destes eventos, que "este melhor possível" que fazemos se potencialize, e se torne cada vez um melhor mais eficiente em relação as metas que nos colocamos. Este melhor possível para um momento sofrerá transformações, e o "melhor possível" será outro depois do tratamento com EFT.

Por exemplo, um empresário me procurou porque já há dois anos não conseguia mais ir trabalhar, ficando na cama a maior parte do dia, brigando com a mulher e os filhos, e a primeira coisa que disse foi: preciso mudar, estou num processo de auto sabotagem, faço tudo errado, não saio da cama, me culpo por isso, agrido a minha mulher e meus filhos o tempo todo, me sinto acabado. Tenho ódio de mim mesmo. Acho que só morrer me resta. Estava muito tenso, peito muito contraído, intensidade 10. (Testar a intensidade da negatividade é muito importante no trabalho com EFT, como você vai ver no curso que lançaremos em breve com Gary Craig).

Logo depois de fazer o EFT para estas crenças, emoções e sensações,  e sugerir a ele que podia considerar  que o que vinha fazendo era o melhor que podia para sobreviver, ele sentiu este primeiro alívio por alguém parar de julgá-lo e permitir que ele parasse de se julgar também. Esta classificação de auto-sabotagem, muitas vezes encontrada em livros de auto-ajuda  
reforça a auto-crítica da pessoa , agravando seu estado de sofrimento e desesperança.

Depois de trabalhar cada aspecto de todos eventos específicos graves de sua infância e mesmo de sua vida adulta e, cada sensação corporal que a narrativa dos eventos despertava, ocorreu uma transformação surpreendente no meu cliente. 

E isso aconteceu praticamente depois de dois meses de consultas semanais. Um dia ele chegou já com uma roupa mais colorida, um sorriso, um rosto rosado e vitalizado. Na sessão seguinte já me disse que conseguia sair da cama, e em seguida começou a conseguir fazer alguns trabalhos para sua empresa, e conseguiu enfim dialogar com seus familiares em vez de agredir e brigar. A esperança voltou, e começamos a trabalhar projetos para o futuro.

Ele havia tentado vários tipos de terapia e medicamentos fortíssimos sem nenhum resultado. Já estavam o classificando com aqueles nomes assustadores da psicopatologia.

Este percurso foi muito gratificante para ele e para mim, mas só foi possível porque ele se sentiu acolhido na medida em que pude reconhecer nele que ele tinha recursos, no momento em que disse que ele fazia o melhor e não o pior que podia, ainda que visivelmente ele poderia fazer muito mais por si, como acabou conseguindo em ​pouco tempo.

Em nosso curso de EFT, vamos mostrar os conceitos básicos da técnica.
É importante poder entender algumas questões e ter liberdade para caminhar.

Por favor, diga se foi útil este artigo e me fale que temas você gostaria que eu abordasse! Agradeço antecipadamente por seu tempo em nos ​ajudar nessa construção.

Comentários (0)

Por que a gente se dispersa? Por que adia o que precisa fazer?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h46

Esta é uma pergunta que talvez vocês se façam muitas vezes e que inúmeros pacientes também me tem colocado ao longo destes anos de clínica. 

Tenho observado que esta hesitação em por a mão na massa para fazer o que precisa ser feito e poder tirar da frente uma tarefa não é algo incompreensível, não é preguiça, não é defeito da pessoa. Por isso não é algo que mereça culpabilização embora as pessoas se culpem muito por isso. Acabam gerando problemas maiores para si, como auto punições, auto destrutividades, agressividade, baixa auto estima, desmotivação, etc.

E se este fenômeno da procrastinação for bem compreendido, ao ser usado o EFT, teremos bons resultados. Não adianta simplesmente fazer o método para o fenômeno em si, de uma forma global: ainda que eu adie a tarefa x ou y, eu me amo e me aceito completamente, etc...

É preciso compreendermos o que acontece internamente na pessoa que adia o que precisa fazer,  a que eventos biográficos esta postura está servindo como defesa para sobrevivência. 

O que tenho observado na clínica e, mesmo na minha vida é que a postura de dispersar, adiar está conectada a uma angústia que é existencial e comum a todos nós seres humanos: a nossa finitude, o fato de sermos mortais, que nos torna muito sensíveis  a tudo que pode terminar, ter   um fim. Isso nos angústia muito. Isso porque associamos inconscientemente  que terminar uma tarefa é como aderir ao nosso destino, que é sempre a morte ou a finitude da vida corporal.

Aceitar o nosso destino como seres que morre, seres finitos, (e, isso,  não apenas intelectualmente) não é algo natural, exige muito trabalho interno, muita maturidade. E exige principalmente que se tenha podido digerir as perdas, as separações que ocorreram no passado.

Nos libera para lidar com a angustia de finitude, do término, e desta forma conseguirmos enfrentar nossas tarefas com tranquilidade, sem hesitação para iniciar, sem medo de terminar.

Do contrário, quando não pudemos digerir nossas perdas e separações, ficamos como que fixados naquele momento, envolvidos num pensamento inconsciente mágico de permanência do que já se foi.  E assim comprometemos nossos projetos e nossa missão na vida em última instância.

E o EFT* é extremamente útil para que se investigue quais estas separações e perdas que precisam ser trabalhadas. E, oferece o recurso para que, com o tapping ( batidinhas nos meridianos) e a narração destes eventos  em que ocorreram as perdas e separações, se possa digerir, assimilar e superar o que foi inevitável. Neste processo de simbolização das perdas, é preciso estar atento para   seus diferentes aspectos e significados.

Desta forma a promessa, liberdade emocional para seguir em frente é cumprida por este método. 

Comentários (0)

Posso usar o EFT para uma dor física pontual?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h41

Como comentei, quando sentirem algum desconforto, experimentem usar o EFT para fins analgésicos pontuais: funciona muito bem. Pode ser uma dor física, como falei, mas não esqueçam: meçam numa escala de zero a dez quanto está o incômodo antes e para quanto foi o incômodo depois. Sendo zero nenhum incômodo e dez incômodo maior que já sentiram, por exemplo em termos de dor de cabeça. Dez é a pior que já sentiram e zero nenhuma dor de cabeça. Mas hoje vou explicar como fazer este trabalhinho com você.  Não adianta, por exemplo, você fazer só assim: 

Ainda que eu esteja sentindo essa dor de cabeça 9 eu me me amo e me aceito completamente..  (fazendo as batidinhas ou tappings no ponto do karatê)

O comando para o cérebro tem que ser sempre muito específico. Primeiro você precisa fechar os olhos, se concentrar, respirar e sentir exatamente como esta dor de cabeça acontece e onde ela acontece. 
Dou um exemplo: Estou sentindo uma dor de cabeça na lateral direita da testa, chegando até o início do couro cabeludo, sob a forma de pulsações que latejam. Chegando neste nível de especificidade e detalhe você foca nesta dor, neste aspecto da dor, como se o convidasse, como se o aceitasse neste momento. Enfim como se não brigasse com ele.

Neste momento você está pronto para falar a frase de preparação: mesmo que eu sinta esta dor 9 pulsante e latejante na lateral esquerda da minha testa indo até o couro cabeludo, eu me amo e me aceito profundamente (fazendo as batidinhas ou tappings no ponto do karatê umas 7 vezes, mais ou menos). E, a partir daí, você pode fazer o tappings (ou batidinhas) em todos os meridianos.

Vamos mostrar esses pontos meridianos durante o curso.

Este é um trabalho simples com o EFT, o trabalho analgésico ou pontual, onde você elimina um sintoma temporariamente. Se, 
por exemplo, você sofre de enxaquecas crônicas você precisará do trabalho com EFT completo, aquele que investiga na sua biografia as raízes emocionais desta defesa psicossomática.

Acontece, entretanto, que a dor pode migrar de um lugar para outro, ou de um tipo para outro. Desta forma, depois de algumas rodadas de EFT para aquela dor de cabeça pulsante e latejante na lateral esquerda da testa, a dor pode aparecer na nuca direita sob a forma de uma pressão, nível 8. O que se faz é repetir, desde o início, a preparação e as sentenças indicando a dor que se está trabalhando neste novo aspecto da dor de cabeça.

Este método mais simples de aplicação do EFT tem sido muito usado, às vezes até tem sido o único método usado, embora ele não esgote as potencialidades do EFT terapêutico. No curso sobre seu novo Tutorial, (Gold Standard EFT) Gary irá mostrar como usar o EFT em todas as suas potencialidades, para que os efeitos do tapping ou das batidinhas seja definitivo e transformador. E para que novas possibilidades se abram para a pessoa. 

Um detalhe muito importante, que você irá aprender no curso e, realmente, Gary é um mestre nesta arte, se refere ao uso da linguagem do paciente quando o trabalho é a dois. Isso tanto no EFT analgésico quanto no Gold Standard EFT ou Official EFT, que é o EFT completo. Quando nos auto-aplicamos naturalmente usamos nossa própria linguagem e somos mais rigorosos em achar a metáfora que melhor apresenta nossa sensação. Mas quando estamos aplicando em alguém é preciso estar muito atento, anotar, para que se respeite rigorosamente as palavras do paciente. Sem isso o cérebro se dispersa ao receber os fluxos energéticos dos meridianos. 

Minha proposta é esta: se você tem alguma dorzinha física, mesmo que pequena, experimente aplicar em você e me relate abaixo como foi sua experiência. Em quantas rodadas a dor diminuiu? Ela migrou? Ou aplique em outra pessoa. Pode ser uma dor no pescoço, pode ser uma dor na coluna, pode ser uma dor no joelho, pode ser uma dorzinha de ​menstruação, enfim, qualquer uma!

Comentários (0)

EFT é aplicável em crianças?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h35

Respondendo a perguntas que nos chegam por e-mail, hoje estou colocando um texto da Tania sobre como fazer EFT com crianças.

Muitos pais me perguntam se da para fazer EFT com crianças, pois hoje uma das grandes questões é como conter uma criança 
sem usar o grito ou a palmada. E respondo que EFT pode ser muito efetivo e não tem contra indicações. Você pode usa-lo para acalmar uma criança ou ajudá-la e depois sugerir a ela que olhe de um outro ângulo emoções muito intensas ou experiências negativas.

Pesquisas mostram que focar na respiração em um momento tenso pode ser muito eficiente para se acalmar e pode ser interessante também adicionar mantras.

Por isso o EFT pode ser de grande ajuda, porque é um método que normaliza a respiração e atinge níveis inconscientes. 

Você pode usar o EFT com crianças de diversas formas:

Nos artigos anteriores você ficou sabendo que o EFT trabalha com os tappings nos pontos terminais dos meridianos. No caso de crianças, você pode fazer os tappings simplesmente seguindo seus incômodos ou sintomas. Por exemplo, um bebê está muito agitado e não consegue relaxar para dormir. Você simplesmente pode usar a receita básica e falar nas frases lembretes algo assim: esta agitação, este nervoso, este medo de relaxar, esta luta contra o sono, este receio que se eu dormir vou ficar sozinho. O interessante é que você pode tanto fazer estes tappings em você ( neste caso vc se transporta para o bebê e se dispõe 
a sentir o que ele sente), como fazer no próprio bebê. 

Se é uma criança maior, e você está tratando do medo de ficar sozinho na escola, por exemplo, você pode pedir pra ele pegar um ursinho querido ou qualquer boneca, e ensiná-lo a fazer a receita básica fazendo o tapping no ursinho.

O EFT sempre primeiro foca nas emoções, sensações e pensamentos negativos da criança, mas quando você sente que ela relaxou, que está mais calma, você pode sugerir uma ressignificação do tipo, "esse medo de ir para escola, que está diminuindo e está vindo a sensação de que lá vai ter um lanche gostoso e vou brincar com aquele amiguinho que eu 
gosto". Mas sempre que se sugere uma outra perspectiva se observa se a pessoa pode internaliza-la, porque a ideia é jamais impor uma ressignificação positiva se a negatividade ainda está presente. 

Se a criança sofre um acidente, não importa a gravidade, e está assustada, o EFT pode ser muito bom para tirar um pouco daquela emoção excessiva que não vem do ferimento mas vem do contato da criança com a vulnerabilidade inerente ao ser humano. 

Hoje vejo crianças que já fazem EFT sozinhas, antes da prova, se não conseguem dormir, se estão com muita ansiedade porque seus pais vão viajar, porque perderam uma partida ou porque estão se preparando para uma partida de tênis ou futebol, etc.

No curso que vai ser lançado em outubro com Gary Craig, o fundador do EFT, você poderá aprender a maneira correta e mais eficiente de aplicar essa técnica e vai poder ajudar seu filho também a ter mais controle de suas emoções e mais recursos para lidar com as situações adversas  da vida.

Comentários (0)

Método terapêutico revolucionário

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h29

Minha formação acadêmica se deu na área de ciências sociais.
Por muitos anos trabalhei como socióloga com pesquisa de mercado.

Pesquisava pessoas de todas as classes sociais e culturas, de todas as idades e orientações sexuais. Ao longo dos anos, colocando perguntas e anotando respostas, sempre chegava um momento em que elas falavam mais abertamente delas mesmo. E invariavelmente eu fui percebendo que todas, mas absolutamente todas, apresentavam algum
tipo de dor, de dificuldade, de sofrimento, de ansiedade, de angústia.

Para algumas pessoas, as dores físicas eram as piores, mas estas sempre vinham com um desconforto emocional. Para outros, os sintomas emocionais ou pensamentos ruins pareciam os mais críticos, mas estes sempre  vinham acompanhados de algum desconforto no corpo.

Eu me incomodava de não poder ajuda-las, porque estava sempre a serviço da empresa. Aos poucos fui percebendo que minha missão nesta vida era ajudar mais as pessoas do que contribuir para a lucratividade das empresas através das pesquisas.

Com esta consciência deixei a pesquisa de mercado e fui em busca encontrar uma forma de ajudar as pessoas a lidar com estes
sofrimentos, dores e ansiedades. Depois de estudar muitos métodos (Psicanálise, Bioernergética, Hipnose Eriksoniana, por exemplo), em 1998 descobri o método EFT* (Técnicas para Liberdade Emocional) através de um amigo muito querido e, a partir de 2000 e até agora, estudo e trabalho com Gary Craig, o fundador do método, em Sea Ranch, no norte da Califórnia Pelo menos a cada seis meses o visito e conversamos por skype todas as semanas porque nosso diálogo é muito frutífero para nós dois.

EFT (Emotional Freedom Techniques) é um tipo de uma acupuntura sem agulhas que trabalha simultaneamente a nível físico, estimulando os pontos terminais dos  meridianos energéticos e a nível verbal, com falas que evocam sensações, emoções e pensamentos que se quer trabalhar. Para os que não sabem como este método funciona em nosso site http://www.emofree.com.br há um manual que ainda que desatualizado preserva alguns elementos essenciais do método. 

O EFT pode ser auto aplicado ou pode ser aplicado por um profissional, depende das condições emocionais da pessoa que se
auto aplica, ou seja, da gravidade de sua perturbação.

Estou entre as primeiras pessoas que introduziu este método no Brasil.
Ao longo dos anos ensinei e distribui materiais de estudo para muitas pessoas que me procuraram e que hoje estão divulgando o método Brasil afora, como o André Lima, por exemplo.

Por que EFT se tornou chave na minha vida e na minha história clínica? O que me cativou neste método foi sua imensa versatilidade.

Se todas as pessoas em alguns momentos da vida sentem dores, sofrimentos, angústias e  ansiedades, (como comprovei na minha vida de pesquisadora), verifiquei que o EFT  é efetivo para qualquer tipo de pessoa. O EFT se distingue dos demais métodos exatamente por isso: todos os demais métodos terapêuticos que  conheci ao longo dos anos se adequavam para alguns tipos de pessoas, mas não para outras, para alguns tipos de sofrimentos e dores, mas não para outros.

Mas o EFT tem esta característica espetacular: pode ser útil para qualquer tipo de pessoa e para qualquer tipo de sintoma, dificuldade, dor, sofrimento, angústia ou ansiedade. Inclusive se provou efetivo no caso de doenças mais graves, como câncer,  diabetes e esclerose múltipla, confirmados em pesquisas científicas. 
O EFT ou Tapping trabalha sempre ao nível da contribuição energético-emocional para o incômodo, sintoma, doença,  problema, etc.

No caso de  pessoas que se sentem bem mas querem apenas melhorar suas performances na área escolar, profissional ou esportiva o EFT, também tem mostrado índices de efetividade surpreendentes. Gary conta como seu filho melhorou sua performance em baseball de forma surpreendente  através de algumas rodadas de EFT.

E o mais incrível é que além de ser um método que com certeza é útil para todos, independentemente da cultura, da idade, do sexo e das questões envolvidas, ele tem a característica de, se aplicado corretamente, conduzir a resultados de forma mais rápida que outros métodos e garantir resultados, muitas vezes definitivos.

Minha clínica depois de eu ter adotado o EFT se tornou tão demandante e intensa que fui adiando sempre o plano de organizar um curso em parceria com Gary Craig e, especialmente destinado ao público de língua portuguesa.  Como tínhamos o manual em português, as pessoas iam estudando por ele. Mas quando Gary criou o novo tutorial, (que ainda não foi traduzido para o português) com modificações importantes no método, senti que era a hora de convidá-lo a falar para o público brasileiro. E Gary Craig se mostrou entusiasmado com a ideia.  Também nos motivou o fato de que o método tem sido muitas vezes aplicado de forma bastante simplista, o que o torna um método paliativo e não permite uma cura definitiva.

Desta vez vamos ensinar passo a passo o que precisa ser feito para 
resultados permanentes. Incluindo as mais recentes atualizações do EFT!

Já há alguns meses estamos planejando e gravando este curso, sob a forma de um evento online. Vamos legendar o curso todo para que qualquer pessoa que fale português possa participar! Com ele você poderá aplicar em você mesmo e  em seus amigos e familiares e em seus pets. Ou, se você é um profissional poderá aplica-lo com seus clientes.

Não é um curso que forma oficialmente trainers de EFT, mas consideramos a possibilidade de entregar um certificado digital para os que efetivamente assistirem ao curso.

Comentários (0)

Por que os resultados do EFT são tão rápidos e efetivos?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h20

O EFT é um poderoso recurso para lidar com emoções, sensações e crenças não importa quão arraigadas e intensas sejam.  Emoções, são disposições internas presentes em todos os seres humanos. Desde o nascimento até a morte o ser humano sente  emoções e elas são sempre necessariamente ancoradas no corpo e, a partir de certa idade também crenças, idéias e pensamentos se unem às sensações e emoções. 

Algumas pessoas que atendemos nos enviaram depoimentos e em breve vamos publicar em nosso site para que vocês possam ver com o EFT é eficiente.

Vou explicar hoje porque o EFT funciona tão bem. Sabendo por que ele funciona você saberá o que precisa incluir no método para ele manter toda sua potencialidade. Vou falar sobre afetos e energia.

Há uma interligação entre pensamentos e crenças, emoções e sensações corporais. E isso vale tanto para as crenças, emoções 
e sensações negativas quanto para as positivas. Por exemplo, uma pessoa sente uma respiração curta, um peito contraído e ao mesmo tempo sente algum medo, ansiedade, e se inunda de pensamentos como, não mereço, não sou capaz, não tenho valor, não tenho competência, etc. 

Ou, alguém chega para mim e diz, sinto algo na garganta, ruim, e isso está conectado com uma raiva impotente, e crenças do tipo, preciso me calar se quero ser amado(a), se eu falar vou ser rejeitado e punido, etc

- Emoções X Pensamentos X Crença

Sempre que existe este trio formado pelas emoções, pensamentos ou crenças e sensações corporais há um reflexo deles no campo energético do nosso corpo. Isto é, quando sentimos emoções e sensações boas e pensamentos bons, a energia que corre pelos meridianos, (aqueles usados pela acupuntura), no nosso corpo, flui harmoniosa e livremente. Quando estamos presos em emoções, sensações e pensamentos negativos, há uma perturbação energética nos nossos meridianos que precisa ser restabelecida para nos sentirmos saudáveis, alegres, em paz.

O EFT funciona porque age estimulando os pontos por onde circula o fluxo energético do corpo permitindo o restabelecimento de um fluxo energético livre e contínuo.  No entanto, há alguns cuidados importantes a serem tomados para a aplicação do EFT.  E você vai saber em detalhe sobre eles no curso que vamos lançar em breve com Gary Craig, o fundador do método, trazendo sua versão mais recente e atualizada.  

Para que o EFT seja realmente eficiente e efetivo, com resultados a longo prazo estes cuidados deverão ser observados. 

- Meridianos Energéticos

Um destes cuidados diz respeito a chegar a trabalhar nos meridianos energéticos se conectando ( cliente ou a pessoa que se auto-aplica) com eventos do passado onde estão as raízes das emoções / sensações / pensamentos ou crenças que atualmente incomodam a pessoa. Nem sempre isso é muito fácil ou estes eventos visíveis imediatamente mas Gary vai ensinar como chegar a eles.

Outro cuidado é encontrar as palavras e frases certas para trabalhar energeticamente nos meridianos com o tapping (estimulo através de toques vitalizadores dos pontos terminais dos meridianos). E isso também será ensinado neste curso. Quanto mais verdadeiras e sinceras estas sentenças e palavras, mais efetivo será o trabalho com EFT. 

No próximo e-mail vou falar de dois aspectos muito importantes:
Quando e como se pode usar EFT em si mesmo? 
Quando e por que o trabalho com um terapeuta é muito interessante? 

Essa questões têm sido me perguntadas muitas vezes!
Por isso resolvi discorrer sobre ela para vocês.

Até breve, com muito carinho!

Sonia

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/EFTemofree
Visite nosso site: http://www.emofree.com.br/

Comentários (0)

O EFT é auto aplicável? Quando?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h15

Meus queridos,

Prometi que falaria sobre este tópico bastante polêmico e que muitas pessoas me procuram para fazer esta pergunta.
É O EFT auto aplicável? Se sim, é sempre? Depende de algumas circunstâncias? Quais seriam?

Para começar, algo bem simples. Há duas formas básicas de uso do EFT: há o EFT usado com fins analgésicos (EFT - aspirina) e o  EFT usado com fins terapêuticos, no sentido de eliminar a raiz do incômodo que se quer tratar, eliminando as questões, os sintomas, os obstáculos, as dificuldades, os traumas, as fobias, etc. de forma definitiva. 

Este EFT mais completo  é hoje chamado de Gold Standard EFT, e eu tutorial está hoje apenas no site http://www.emofree.com, em inglês.

Mas será objeto do curso que vocês irão fazer em breve se quiserem realmente aprender o EFT.

A receita básica, o EFT- aspirina, que elimina o sintoma provisoriamente, por exemplo, uma dor cabeça, um medo de avião, uma ansiedade quando se vai fazer uma prova, etc pode ser bastante eficaz. 

Esta receita foi atualizada recentemente e será ensinada diretamente por Gary Craig, no curso que estamos quase lançando para vocês. 

Sem dúvida, o EFT - aspirina é de um uso muito comum, muito bom e muito útil. 

Você está com uma dor de cabeça e precisa dar uma palestra: aí você faz algumas rodadas e dá sua aula sem sentir mais dor. Você está num avião e começa a ter taquicardia: aí você faz algumas rodadas e já sente um alívio que lhe permite usufruir a viagem sem sintomas. Muitos pacientes, depois das primeiras consultas, aprendem este EFT - aspirina e o usam para as mais diversas situações na sua vida cotidianaAnsiedades frente a provas, entrevistas, reuniões, apresentações. Facilita muito
a vida ter este recurso na manga do colete. 

Mas é importante lembrar que este EFT analgésico produz apenas efeitos temporários, o que significa que os sintomas voltarão. Podem até mesmo não voltar exatamente iguais, ou seja, podem  migrar para outros. Conheci uma mulher que fez tanto EFT para medo de avião  desta forma analgésica (mesmo que eu sinta medo de avião, ou taquicardia, eu me amo e me aceito...), que avião se tornou algo mais viável para ela, mas o elevador começou a despertar a fobia que o avião provocava.

Este EFT- aspirina é facilmente aplicável. Você usa a receita básica e, as dores físicas, as ansiedades, os medos, as fobias, o bruxismo, entre outros... tudo melhora rapidamente. Mas, como falei, de forma efêmera.

Para um tratamento mais sério e duradouro utilizamos  o método do EFT completo, o Gold Standard EFT, como mencionei acima. Ele vai à raiz dos problemas porque vai aos eventos específicos da vida da pessoa, e tratando do sistema energético-emocional presente nestes eventos, e das crenças que produziu este sistema, elimina as condições que tornam os sintomas ou incômodos  inevitáveis e recorrentes. E o EFT completo, o Gold Standard EFT pode ser auto-aplicável? Sim, em determinadas circunstâncias que exporei a seguir. 

A constituição, a evolução, do nosso eu, é contínua e ininterrupta, do nascimento à morte. E, neste processo, a nossa interação com outras pessoas tem um papel fundamental. Nós evoluímos e nos criamos em relação com os demais que nos circundam. Assimilamos os outros em nossa interioridade, desde nossa mãe, nosso pai, nossa família, até nossos colegas, chefes, amigos, etc. E desse contato vamos criando referências internas dessas  pessoas, mesmo quando estamos sozinhos.
Acontece que este processo nem sempre flui doce e suavemente. Há pessoas que sim, podem estar sozinhas e se sentem como que povoadas de pessoas e afetos bons e que, portanto, não sentem a solidão. Sentem o que podemos chamar de solitude, que é um estado de paz, de harmonia ainda que sem ter ninguém ao lado. Neste estado de solitude sentimos o suporte de todas as pessoas que internalizamos. Se isso ocorre, sim, podemos auto-aplicar o método completo do Gold Standard EFT em nós
mesmos com resultados efetivos. Porque não nos sentimos em solidão ou privação. 

No entanto,  há pessoas que, no processo de constituição e desenvolvimento do seu eu, sofreram faltas, invasões, traumas, de modo que não houve a internalização de pessoas dentro de si oferecendo suporte e aconchego. Nestes casos se a auto-aplicação ocorrer será em estado de solidão e dor e não de solitude. Geralmente se o EFT é auto-aplicado neste estado de privação da presença boa do outro dentro de nós mesmos, os efeitos serão poucos ou nulos ou até negativos. E neste caso o pedido de ajuda a um profissional acontecerá porque a pessoa sentirá um grande aperto ou uma neutralidade fria, indicando que as transformações não têm terreno firme para ocorrerem. Se você sente este estado básico de solitude, você pode se auto-aplicar mas, se você sente que falta a referencia interna boa de uma  pessoa, melhor sim, encontrar um profissional que terá esta função de acolhimento e suporte. 

Num próximo e-mail vamos conversar mais sobre por que um curso do Gary agora é muito importante e o que ele acrescentará em relação ao material ​que já temos em português: o que ele trará de novo!

Com carinho, e até breve!

Sonia

Me diga, este e-mail foi útil para você? Pode justificar a sua resposta?       

Tem algum tema relacionado ao EFT que você gostaria que eu 
​abordasse nestes artigos?

 

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/EFTemofree
Visite nosso site: http://www.emofree.com.br/
Troque experiências em nossa comunidade: https://www.facebook.com/groups/emofreebr/

Comentários (0)

Um EFT para Cada Pessoa!

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h11

Precisamos ir até os eventos biográficos específicos da vida de uma pessoa?

Por que se corre o risco dos scripts padronizados para solução de sintomas funcionarem só temporariamente ou agravarem os problemas? 

O homem é um ser que tem uma biografia, uma história, um ser que vive no tempo e no espaço. Isso implica que o sofrimento atual de cada pessoa tem suas raízes no seu passado. Mesmo a dor de um abandono ou separação que acontece agora traz para este momento todas as separações que vivemos até hoje. Assim, se queremos compreender uma dor, dar uma solução para  uma dor que aperta o peito no presente, precisamos retomar as ressonâncias deste sofrer nos eventos do passado.

Por outro lado, nossa dor, nosso sofrimento, nossos sintomas sempre estão remetidos a sensações corporais que se instalam na nossa memória corporal-energética e na nossa memória consciente, e se reatualizam sempre em cada sofrimento semelhante que vivemos. 

Nosso fluxo energético que sofreu uma perturbação quando tivemos uma forte emoção quando crianças, torna-se a causa de emoções negativas que vão aparecer em cada emoção análoga que temos durante a vida.

Por exemplo, pensemos numa separação prematura mãe-filho. A mãe precisa trabalhar e vai morar fora durante um tempo. O filho  sofre de uma ansiedade de separação porque ele não estava ainda preparado para estar tantos meses sem a mãe. O sistema energético dessa criança sofre uma perturbação e não flui mais livremente. Esta criança apresentará ansiedade ao longo da vida infantil e tenderá a sofrer de ansiedade na vida adulta. Assim a perda de um namorado(a), por exemplo, fará esta pessoa mais ansiosa e aflita do que o necessário ou o esperado para a situação. Haverá um excesso emocional negativo que a incomodará bastante.

Adianta simplesmente fazermos o tapping para a ansiedade de forma global quando encontramos este adulto? Ou aplicarmos um script voltado para ansiedade?

É nesse ponto que entra o EFT, trabalhando a regeneração do sistema energético através do tapping . Este precisa  focar no evento específico que esta criança viveu, e em todos os  aspectos deste evento que a afetaram.  Junto com o tapping se trabalha a nível verbal as sensações e emoções  que a separação da mãe provocaram e em qual intensidade ainda abalam  esta pessoa agora. 

Tudo visando que estes eventos do passado parem de alimentar sofrimentos  por separações que ocorrem no momento presente.

Estas considerações também indicam porque se precisa customizar ou personalizar o EFT, já que cada pessoa tem uma cadeia única de eventos que geram sofrimentos ancorados corporalmente no sistema energético. 
E é esta cadeia que precisa ser acessada energética e verbalmente para que a cura aconteça de forma consistente. 

Gary tem enfatizado demais essa questão de customização do método e isso ficará muito claro no curso que nos dará no próximo mês. O tema deste artigo será detalhado passo a passo neste curso, não percam! 

Com carinho,

Sonia, até breve!

P.S. Deixe aqui seus comentários e suas dúvidas, sobre o tema deste email. Procuraremos responder ! obrigada!

Foi útil este e-mail para você? 

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/EFTemofree
Visite nosso site: http://www.emofree.com.br/
Troque experiências em nossa comunidade: https://www.facebook.com/groups/emofreebr/

Comentários (0)

Como trabalhar com EFT?

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 15h00

Hoje vou falar de um problema muito comum hoje em dia que é a crise de pânico e aproveitar para responder duas perguntas frequentes sobre EFT:

Quando e como se pode usar EFT em si mesmo? 
Quando e por que o trabalho com um terapeuta é interessante? 

É muito comum chegarem pessoas na nossa clínica procurando ajuda com EFT para diversos tipos de problemas. Um destes problemas é a crise de pânico: coração disparado, suores frios, diarreia, falta de ar, tremores descontrolados, tontura, sensação de morte iminente. Muitas pessoas chegam à clinica já tentando fazer a auto-aplicação do EFT, mas sem resultados. Estas pessoas acabam disparando o pânico às vezes por medo de entrar em pânico! Este medo de se sentir mal acaba limitando essas pessoas  no que diz respeito a  viver experiências novas, aproveitar oportunidades, aceitar desafios. Deixam de viajar, de aceitar novos cargos, de ir a eventos relevantes, etc. O mais difícil e o que mais temem é que o pânico muitas vezes eclode em momentos que não esperam. Ele aparece como um tsunami imprevisível que se origina dentro delas. E isto num momento em que tudo parece estar calmo fora delas.

De fato, as pessoas que apresentam essas crises de pânico tem dificuldade de fazer sozinhas o trabalho terapêutico. O pânico é uma ansiedade potencializada, com manifestações corporais agudas, sugerindo à pessoa que há uma perda do seu eu, uma sensação de desintegração, de perda da unidade de si. A pessoa em pânico sente que não existe mais um eu para controlar e acalmar a ansiedade crescente e confiar que este tsunami vai passar. Esta agonia infinita é das sensações mais terríveis que
se pode sentir. 

Na minha experiência essas pessoas que apresentam crises de pânico, quer tomem medicação ou não, muitas vezes precisam de um terapeuta amoroso, que trabalhe com o coração, que seja profundamente empático, que cuide delas dando um suporte quase incondicional para que a sensação de confiança volte a se estabelecer.

Até o ponto em que a pessoa comece a conseguir ter uma referência interna de confiança que o ajudará a se acalmar cada vez que os sinais de pânico começam a surgir.  

No caso do pânico, o EFT deve ser aplicado de duas formas (quer se trate de auto aplicação ou de aplicação por profissional):

1. quando os sintomas começam a dar sinais que vão se manifestar, você trabalha nos meridianos, insistentemente, varias rodadas, até que que estes sintomas recuem. Isso acontece quase sempre. Tive vários casos de pacientes e amigos que estando sozinhos numa estrada, por exemplo, sentiram de repente  que uma crise se avizinhava, e pararam o carro, fizeram umas cinco rodadas de EFT conectados com as sensações corporais e assim afugentaram a crise.

2. para uma eliminação total das crises, é preciso voltar aos eventos biográficos específicos que criaram as condições para que o pânico se instale. Podem ser, por exemplo, situações de desamparo, de medo, de cuidados por demais intrusivos e culpabilizadores, etc. Muitas vezes temos eventos que deixam uma marca energética-emocional no sentido de privar a pessoa da confiança que uma ação assertiva exige.

Casos de crises de pânico recorrentes e intensas podem demandar um processo terapêutico com um profissional que ajude a pessoa a restaurar a unidade de si, a confiança no si mesmo, a esperança no futuro, a assertividade nas posturas e nas ações requeridas. No curso com Gary Craig, vocês terão todos os instrumentos para, com EFT, chegar nestes eventos específicos biográficos e como eliminar deles ​a carga energético-emocional que predispõe às crises de pânico!

Com carinho, até breve!

Sônia

Foi útil este e-mail para você? 
O que você gostaria de saber mais sobre este tema?

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/EFTemofree
Visite nosso site: http://www.emofree.com.br/

Comentários (0)

Nossa Comunidade de EFT

Publicado por Sonia Novinsky em 28/10/2014 às 14h52

Meus queridos,

Gostaria de informar que abrimos uma comunidade aberta sobre EFT no Facebook, assim todos podemos nos ajudar e podemos compartilhar experiências. 

As vezes recebemos perguntas muito parecidas de pessoas de diferentes lugares, acreditamos que através desta comunidade podemos compartilhar esse conhecimento.

Para se cadastrar entre nesse link: 

https://www.facebook.com/groups/emofreebr/

Vamos compartilhar experiências, testemunhos e detalhes do método ​EFT agora também através desta comunidade.

Sônia

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/EFTemofree
Visite nosso site: http://www.emofree.com.br/
Troque experiências em nossa comunidade: https://www.facebook.com/groups/emofreebr/

Comentários (0)

left show tsN fwR fsN|left fwR tsN|left fwR tsN show|bnull||image-wrap|news c05|fsN fwR normalcase c05 tsN|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase|normalcase fwR c05|content-inner|left show tsN fwR fsN|news fl c05
X

Entre com seu e-mail e receba informações sobre o Curso Oficial de EFT com o criador do método.